Pular para o conteúdo

Rodrigo Hilbert e nossa masculinidade distorcida

Rodrigo Hilbert, famoso ator e galã da TV Globo, recentemente virou um fenômeno na internet por causa de sua peculiar disponibilidade em servir e ajudar sua família – em especial, sua esposa. O rapaz parece gostar de cozinhar, arrumar, consertar e prestar todo tipo de auxílio necessário dentro de casa. Ao que parece, ele faz muita coisa e tudo que faz, faz muito bem feito.

Obviamente, o fato de Rodrigo ser uma pessoa pública, exposto nas televisões de todo país e ainda ser marido de Fernanda Lima, certamente faz com que todo esse frisson ganhe ainda mais volume, contudo, mesmo assim, gostaria de propor um motivo mais estrutural e profundo para todo esse barulho.

Por que atitudes cotidianas e cuidados comuns de homens para com suas esposas e famílias há 20 ou 30 anos atrás, em certo sentido, transformaram-se em algo absolutamente raro atualmente? Por que as mulheres identificaram-se tanto com o jeito de ser de Rodrigo Hilbert? Será mesmo apenas uma identificação com os dotes físicos e com a conta bancária do galã ou existe algo a mais por trás desse movimento todo?



  • Cláudia Santos

    Excelente texto!! Admiro o artista e penso que muitos homens deveriam seguir o exemplo. E ele nem conhece a Cristo,mas com certeza sabe o que é amar a família. Homem raro nos dias de hoje!