Pular para o conteúdo

“O projeto educacional contemporâneo é de secularização”, diz pedagogo

Igor Miguel é teólogo, pedagogo e mestre em letras. Ele foi um dos palestrantes da terceira edição do Fórum Nordestino de Cosmovisão Cristã, em Fortaleza (CE). Em entrevista exclusiva para o portal Dois Dedos de Teologia, ele comentou sobre a importância de debater o tema “educação escolar”.

“A gente entende que esse debate é importante, principalmente para cristãos, por algumas razões. A primeira razão é que cristãos precisam ver o que nós chamamos de educação formal, que se expressa particularmente por uma instituição chamada escola. Primeiro como um projeto e um legado protestante. Cristão em termo amplo, mas particularmente protestante”, iniciou.

Igor relembra que a escola é um legado do cristianismo. “O projeto de se criar um espaço em que crianças, inicialmente, fossem introduzidas na realidade cultural e fossem equipadas com formação cultural e formação moral, para se inserirem em determinadas comunidades, isso é um legado do cristianismo”, diz.

 

Projeto de secularização

Para o pedagogo, o atual projeto educacional quer sufocar a expressão religiosa nas escolas. “Outro motivo em que esse debate importante, é que o projeto educacional contemporâneo é um projeto de secularização, de uma educação secular. No sentido de que se propõe em formar pessoas para uma sociedade que não permite expressões cristãs na esfera pública”, alertou.

“Querem restringir a reflexão cristã apenas na esfera privada ou na esfera da experiência religiosa privada. O que é um problema sério, se a gente for pensar em termos do projeto ou da agenda pedagógica contemporânea, principalmente no contexto brasileiro”, ressaltou.

“Então, a gente pensar e refletir sobre a importância da educação confessional, a relação da formação confessional cristã diante dos desafios da sociedade contemporânea. Pensar todos esses campos de reflexão, se é possível uma pedagogia cristã que tem alto compromisso confessional, mas ao mesmo tempo prepara o cristão para a vida social contemporânea e moderna. Essas reflexões e debates são fundamentais para mim. Esse é um tema que tem que estar na pauta, tem que estar no nosso horizonte enquanto comunidade cristã”, finalizou.