Pular para o conteúdo

Kevin DeYoung usa Olimpíadas de Inverno para alertar sobre perseguição religiosa

Kevin DeYoung está apoiando a campanha Free USA 3. (Foto: T4G 2016).

O pastor Kevin DeYoung está apoiando uma campanha que chama atenção sobre cristãos presos na Coreia do Norte. A “Free USA 3” está aproveitando a audiência das Olimpíadas de Inverno, que acontece na Coreia do Sul para alertar cristãos em todo o mundo sobre as vítimas de perseguição religiosa.

A campanha destaca três cristãos que foram presos na Coreia do Norte por apenas professar a fé cristã. Kevin DeYoung publicou um texto em sua fanpage oficial onde pede para que seus seguidores possam ver um vídeo de Sol Kim, filho do prisioneiro Kim SangDuck, também conhecido como Tony Kim. Abaixo você pode conferir uma breve descrição dos cristãos presos.

Kim SangDuck (Tony Kim)

Kim SangDuck (Tony Kim), de 59 anos, é um americano que foi detido pelas autoridades da Coreia do Norte no aeroporto internacional de Pyongyang em 22 de abril de 2017. Nenhuma razão foi dada no momento da sua detenção. Kim estava no país para ensinar na Universidade de Ciência e Tecnologia de Pyongyang.

A agência de notícias sul-coreana Yonhap informou que Tony também se dedicou ao trabalho humanitário, ajudando os orfanatos no nordeste do país. Em maio de 2017, Tony Kim foi acusado de “cometer atos criminosos de hostilidade destinados a revogar a República Democrática Popular da Coreia”.

Kim Dong Chul

Kim Dong Chul, de 64 anos, é um empresário americano que foi detido na Coreia do Norte em outubro de 2015. Ele foi acusado de cometer “ofensas em um esquema para derrubar o sistema socialista”, de acordo com a agência estatal de notícias KCNA.

Em março de 2016, funcionários da Coreia do Norte alegam que Kim confessou acusações de espionagem. Em abril de 2016, Kim foi sentenciado a 10 anos de trabalho forçado por subversão e espionagem.

Kim Hak-song

Kim Hak-song, de 55 anos, é um americano que foi detido na Coreia do Norte em 6 de maio de 2017. Kim era “um homem que fazia negócios em relação à operação da Universidade de Ciência e Tecnologia de Pyongyang”.

Ele foi detido sob suspeita de cometer “atos hostis” contra o governo do país. A Universidade de Ciência e Tecnologia de Pyongyang disse que Kim estava fazendo um trabalho de desenvolvimento agrícola com a fazenda da universidade.

O pior país para um cristão morar

A Coreia do Norte lidera a Lista Mundial da Perseguição pelo 16º ano consecutivo. No país, direitos à liberdade de pensamento, religião, expressão e informação não são respeitados, e não há mudança para a igreja há anos: cristãos enfrentam níveis de pressão extremos em todas as áreas da vida, combinados com alto grau de violência.

Na nação mais fechada do mundo, o cristianismo é visto como ocidental e hostil e se espera que os cidadãos adorem somente a família Kim, que governa o país desde sua fundação, em 1948.
Por esse motivo, cristãos escondem sua fé até mesmo de sua própria família temendo ser presos e enviados para campos de trabalhos forçados. O exercício da fé cristã em comunidade também é afetado, já que igrejas não podem existir, e reunir-se com outros cristãos é uma atividade perigosa, bem como ler a Bíblia ou expressar a fé cristã de qualquer maneira.